Percepções de uma educadora-viajante

Rosa María Torres, educadora e lingüista equatoriana radicada na Argentina, tem uma vivência de vinte anos em assessorias de educação em cinco países: Equador, México, Nicarágua, Estados Unidos e Argentina. Além disso, trabalha com a Unicef, a Unesco e atuou como professora convidada em instituições de ensino em diversas regiões, inclusive na África. Escreveu livros e participou de inúmeras pesquisas. Trata-se de um currículo extenso e permeado de atividades ligadas à formação e capacitação de educadores.

Esta experiência lhe deu gabarito para escrever Itinerários pela educação latino-americana, lançado pela Artmed Editora, livro que traz cinco trajetos através de vários “mundos”: o mundo da educação, o das instituições educativas, o dos educadores, o das experiências inspiradoras e o das proposições. Sua proposta é bem delineada na apresentação da obra, construída com base em relatos de viagem, visitas e conversas. “Minhas opções pessoais e familiares de vida e de trabalho levaram-me a fazer da viagem um modo permanente de aprender…”, justifica Rosa María.

Dessa forma, a leitura torna-se bastante atraente, numa espécie de “testemunho”, como diz a própria autora. Os textos foram baseados em mais de 50 cadernos de viagem (agendas, disquetes, cadernos), cuja seleção corresponde a percursos pela América Latina e pelo Caribe. Em Itinerários encontram-se diferentes sujeitos envolvidos na questão educativa, procurando entender as lógicas e as razões de reformadores e inovadores. Há crianças, jovens e adultos, mães e pais, professores, diretores e supervisores, ativistas, professores, pesquisadores e muitos outros personagens de uma história real sobre a educação.

Um dos textos, por exemplo, trata da cerimônia de formatura das crianças do jardim da infância de uma escola na localidade rural de San Juan de Morán, no Equador, e que faz parte do Programa Mãe-Professora do Ministério da Educação daquele país, com apoio da Unicef. A descrição de detalhes do evento mostra uma experiência rica e cheia de idéias para o que seria uma simples formatura escolar: “Apesar da grande pobreza, é possível notar a vontade e o cuidado em manter tudo bonito, arrumado e agradável para trabalhar com as crianças”.

Itinerários, ao mesmo tempo que é um “diário de viagem”, apresenta muitas questões teóricas, pensadas pela autora como um balanço de cada uma de suas experiências. No último “itinerário”, por exemplo, ainda há espaço para questões políticas, curriculares, sobre a relação da educação com a pobreza e o papel da televisão.


Livro: Itinerários pela educação latino-americana
Autor(es): Rosa María Torres
Editora: Artmed
Páginas: 341

COMO CITAR ESSE CONTEÚDO:
MENEZES, Ebenezer Takuno de. Percepções de uma educadora-viajante. Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/percepcoes-de-uma-educadora-viajante/>. Acesso em: 14 de dez. 2018.

Ou

Percepções de uma educadora-viajante, por Ebenezer Takuno de Menezes, em Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/percepcoes-de-uma-educadora-viajante/>. Acesso em: 14 de dez. 2018.

Deixe um comentário

Carregando...