Informações sobre uma educação em constante transformação, quando a tecnologia enriquece e facilita a aprendizagem

Série de podcasts aborda o uso das tecnologias na educação

Ensino a distância, dicas para aulas e fake news são alguns dos temas debatidos nos áudios, já disponíveis
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
Foto: Freepik

 

O ensino remoto foi um dos principais problemas enfrentados na área da educação, no ano passado, devido à pandemia de covid-19. Tanto alunos quanto professores precisaram se adaptar às novas tecnologias. Foi a partir dessa problemática e dessas demandas em relação ao ensino remoto que surgiram reflexões para se pensar novas propostas para o ensino. O assunto foi discutido no curso de extensão Mídias e Tecnologias na Interface Comunicação e Educação, realizado virtualmente entre os meses de setembro e dezembro de 2020, que deu origem a uma série de podcasts. O Educomcast vai ao ar todas as segundas-feiras pela RadioEdu Brasil, com edição e apresentação de Renato Hendrigo, e através do Spotify, Google Podcast e Spreaker Podcast.

O Educomcast foi desenvolvido pelos grupos de pesquisa Mediações Educomunicativas (Mecom), da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, e Polifonia – Observatório de Educação e Comunicação, da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), com o apoio da RádioEdu Brasil. O projeto, coordenado pelas pesquisadoras Edilane Carvalho Teles (Uneb) e Suéller Costa (mestre em Ciências da Comunicação pela ECA), propõe uma síntese dos dez encontros virtuais, realizados durante o curso, em podcasts. As lives que serviram de base para os programas também podem ser assistidas no Canal Polifonia, no YouTube.

Os podcasts, com duração média de 45 minutos, trazem, entre outros temas, as diferenças entre ensino remoto, ensino híbrido e educação a distância, redes sociais, games, memes e fake news. “Uma das problemáticas mais evidentes era, de fato, a apropriação com o novo formato de ensino, e a dificuldade que nós, profissionais de educação, temos com as tecnologias e mídias. Por isso as temáticas perpassaram por assuntos específicos, vislumbrando ampliar o entendimento do professorado, e como consequência, chegar à prática”, diz Edilane. Segundo ela, “o principal escopo é colaborar com a formação de estudantes de licenciaturas e professores, da educação básica ao ensino superior, sobre a interface comunicação e educação, transversalizadas pelas mídias e tecnologias”.

Para Suéller, “o objetivo é divulgar a questão epistemológica da educomunicação e, principalmente, ser mais um ponto de encontro entre educadores e comunicadores, ampliando os olhares das tecnologias para o cenário educativo sob o ponto de vista da educomunicação”. Ela explica que, entre as questões apresentadas, muito se falou sobre olhar para as tecnologias como recurso para que se possa continuar mediando o ensino, tema que surgiu por conta da pandemia, em consequência do ensino remoto emergencial e da valorização do ensino a distância. Suéller, além de educomunicadora, atua na educação básica, e segundo ela o ano passado foi um período de muita descoberta. Durante o curso, diz, houve muita troca de experiências e apresentação de cases, com a exemplificação de aplicativos. “Eu procurava levar muitos dos recursos para a sala de aula”, informa.

Os podcasts

Do total de dez episódios, sete já foram ao ar, mas podem ser acessados através das redes digitais. O primeiro, Interface Educação e Comunicação, com o professor Adilson Citelli, da ECA, traz algumas provocações sobre o diálogo entre esses dois campos, além de questionar qual o melhor caminho para promover o uso das tecnologias da comunicação e informação nos diferentes espaços de aprendizagem. No segundo episódio, que tem como tema Abordagens Pedagógicas e a Inclusão das TICs e Mídias nos Currículos, a professora Ademilde Sartori, da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), traz um percurso histórico das TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação), algumas correntes pedagógicas e seus diálogos com a educomunicação, elencando modos de interação importantes para os processos de ensino e aprendizagem, tanto remoto quanto presencial, e algumas reflexões sobre o legado que a pandemia deixa aos professores e, em especial, à educação brasileira.

Aprendizagens Ativas – Pedagogia de Projetos é assunto do terceiro episódio, em que o professor Edmerson dos Santos Reis, da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), apresenta, nestes tempos de pandemia, a busca de alternativas para promover o dinamismo nas aulas, a interação entre os educandos, o compartilhamento dos conhecimentos e, por sua vez, a consolidação da aprendizagem, levando a refletir sobre a forma como essa tecnologia está sendo propagada e se essa é a solução para todos os problemas educacionais.

O quarto episódio, Metodologias Ativas, com a professora Dênia Falcão, diretora da Inova Práticas Educacionais, destaca a construção de uma nova cultura escolar, em que o aluno é mais ativo, autônomo, participativo e colaborativo e o professor é mais criativo, inovador e, acima de tudo, disposto a se adaptar a um mundo em constante movimento.

Em Metodologias Ativas Mais Utilizadas, quinto episódio da série, Rosângela Medeiros e Juliana Pereira Alves, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), compartilham os resultados de uma pesquisa em andamento acerca das abordagens mais utilizadas pelos professores da educação básica e do ensino superior.

Lendo o Mundo: do Livro ao Instagram e WhatsApp?, com as pesquisadoras Cristiane Porto, professora da Universidade Tiradentes, em Aracaju (SE), e do Instituto de Tecnologia e Pesquisas do Sergipe, e Rita Argollo, professora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), em Ilhéus (BA), e presidente da Associação Brasileira das Editoras Universitárias, debate a importância do incentivo à leitura no cenário da cultura digital, trazendo um percurso histórico da leitura, desde os pergaminhos até os chamados “Big Five” – Google, Amazon, Apple, Facebook e Microsoft –, que têm influenciado novos comportamentos no ambiente virtual.

O sétimo episódio, Gestão de Projetos Educomunicativos, é apresentado pelo professor Ismar Soares, da ECA, um dos precursores a disseminar o neologismo educomunicação pelo Brasil, que discorre sobre os 60 anos da história dessa área.

Ainda estão programados outros três episódios: Linguagens das Redes à Escola: Fake News, Memes e Algoritmos, que vai ao ar no dia 7 de junho, Ensino Remoto, o Ensino Híbrido e a Educação a Distância, programado para o dia 14 de junho, e finalmente Games e Educação, no dia 21 de junho.

A série de podcasts Educomcast vai ao ar às segundas-feiras pela RadioEdu Brasil. Ela fica disponível nas plataformas Spotify, Google Podcast e Spreaker Podcast.

Com informações Claudia Costa, do Jornal da USP